BEHIND the LIFESTYLE

Uma jornada pela exploração dos cinco sentidos

Five Senses Hostel

“Somos distintos essencialmente pela decoração cuidada, o conforto, a comodidade,
o atendimento familiar, a atenção aos pequenos detalhes, o bolo caseiro e aquela
sensação de bem-estar que se sente mal se entra no nosso espaço.”

Fotografia por Pedro Lucas

Q & A

Entrevista por Maria Ana Marques

Na baixa de Coimbra, tivemos a oportunidade de ir conhecer o Five Senses Hostel. Todos os quartos foram cuidadosamente decorados de modo a homenagear cada um dos sentidos, o Paladar, a Audição, o Toque, a Visão e o Olfacto, e onde não há uma linha onde não seja notória a harmonia de todos detalhes.

Com uma luminosidade incrível em todos os recantos da antiga casa, agora restaurada, encontramos ao longo dos cinco pisos, diversos tipos de acomodação, como quartos twin, quartos familiares e dormitórios além de um pátio cuidado para os hóspedes que queiram relaxar ao sol ou apenas conversar.

O turismo pede-se cada vez mais familiar porque os viajantes querem sentir-se em casa mesmo estando a quilómetros da sua. Do Five Senses pode-se esperar, além de bem-estar, um atendimento íntimo que é visível assim que se entra pela porta do hostel.

“Ter a oportunidade de conhecer pessoas do mundo inteiro foi das melhores coisas que Five Senses nos trouxe até agora” diz-nos com um sorriso a responsável pelo espaço, Joana Faustino.

LER REPORTAGEM COMPLETA

1. Quando nasceu o Five Senses Hostel?
A 9 de Novembro de 2015, mas da maturação do projecto até à sua concretização final demorou mais ou menos 8 meses. O toque de saída foi uma casa reconstruída que um amigo nosso pretendia comprar. Este amigo desistiu do negócio e a casa acabou por ser adquirida por nós, tendo sido esta a oportunidade de concretizar um desejo antigo.

2. Porquê o nome Five Senses?
A casa tem cinco pisos. A associação destes cinco andares com os cinco sentidos nasceu de uma forma quase intuitiva: 1 piso -> 1 sentido uma sensação diferente. E o projecto de decoração desenvolvido pela White Glam nasceu ancorado nesta ideia.

3. Como é um dia típico aqui?
Os dias aqui são divididos pelo check-in e check-out, pelo pequeno-almoço, a limpeza, a lavandaria e o contacto com os clientes… Poderia pensar-se que se tratam de dias sempre iguais mas na realidade não o são: todos os nossos dias são diferentes porque cada um dos nossos clientes é uma pessoa diferente.

4. Que estória curiosa nos podem contar que tenha ocorrido aqui no Five Senses?
Uma estória marcante na tenra idade do Five Senses Hostel foi a filmagem de algumas cenas para o filme do Rui Goulart, “Nascido em Angola” que para além da presença do realizador, actor e equipa técnica despertou a atenção dos meios de comunicação locais.

5. Qual foi o maior desafio até agora?
No primeiro fim-de-semana após a abertura ter a casa cheia o que constituiu um verdadeiro teste para o staff e para as instalações.

6. O que ambicionam fazer num futuro próximo?
Melhorar, diversificar a oferta de quartos, aumentar a comodidade e melhorar o serviço.

7. Como se imaginam daqui a 10 anos?
Com o Five Senses 2 e 3…

8. Qual é o vosso conceito de sucesso?
Casa cheia e clientes sentindo-se “especiais”.

9. Numa frase, como descreveriam o vosso projecto junto dos outros.
Um espaço mimoso onde as pessoas se sentem felizes.

www.fivesenseshostel.pt
www.facebook.com/fivesenseshostel/