BEHIND the FASHION

À descoberta da dinâmica e carismática STOA

STOA Atelier

“É gratificante podermos trabalhar naquilo que gostamos, dar asas à criatividade,
e ver crescer um projecto que saiu de nós. Queremos dar o máximo todos os dias para
que este permaneça no tempo… Deixar, quem sabe, uma herança e algo do qual nos
orgulhamos aos nossos filhos.”

Q & A

Entrevista por Maria Ana Marques

A STOA é uma marca com o cunho da Margarida Alvim e da Catarina Consiglieri Pedroso que nos dias de hoje, foca-se nas noivas e respectivas convidadas. A ideia das duas amigas é aglomerar num só espaço, tudo o que diga respeito à imagem da noiva, desde o desenho e confecção do vestido, à escolha dos tecidos e dos acessórios, exclusivos aos serviços de maquilhagem e de cabelo.

A STOA é ainda representante de várias marcas de renome espanholas. E como não param, estão já a alargar a oferta existente. De passo marcado e com uma visão construtiva, num futuro próximo a Margarida e a Catarina pretendem abranger várias vertentes no mundo da moda e da arte.

LER REPORTAGEM COMPLETA

1. Quando nasceu a STOA?
Apesar de já ser um projeto há muito pensado e sonhado, STOA nasceu em Maio de 2015 e abrimos o atelier em Outubro.

2. Como surgiu o nome?
STOA é um termo grego que significa um espaço arquitectónico criado pela sucessão de elementos verticais – pilares, que criam uma galeria. STOA era o “elemento de transição” ou o “espaço intersticial “ entre o interior e o exterior do edifício, ou à volta de uma praça. Também chamado de colunata, muito utilizado na arquitectura greco-romana, depois no renascimento e um pouco por toda a história. Para além deste aspecto arquitectónico, por ser um nome curto, sem um significado em português, torna-se versátil, no sentido de poder ser utilizado em várias vertentes. É também um nome clássico e marcante, que foi ficando e já não nos conseguimos separar dele nem propor outros.

3. O que vos distingue?
Penso que somos o primeiro atelier que oferece este serviço completo à noiva, para que não tenha que se preocupar com mais nada do que diz respeito à sua imagem.

4. Em que momento decidiram que queriam apostar num projeto vosso?
Margarida: sempre soube que queria ter um projeto meu, ligado à área de moda e arte. Por pertencer a uma família numerosa, e perceber a importância e o papel fundamental da mãe, sempre soube que queria ter um trabalho em que fosse possível ser dona do meu tempo, para que fosse possível estar também o tempo suficiente em casa com os filhos. É um esforço enorme, e por vezes mais difícil e com mais preocupações do que trabalhar por conta de outros, mas no final penso que será mais gratificante.
Catarina: desde muito nova que sonho em ter o meu próprio negócio e passava noites seguidas sem dormir a pensar para que área me virar. Venho da área de gestão de empresas e hotelaria e por isso tinha a cabeça formatada para um restaurante ou um hotel. O que me movia era conseguir conciliar a família e o trabalho, o que dificilmente se consegue fazer a trabalhar por conta de outrem (especialmente em hotelaria). A Margarida e eu conhecemo-nos há muitos anos e quando fiquei noiva e me apresentou algumas ideias apaixonei-me por elas. Na semana seguinte estávamos a arrancar com o projecto!

5. Como é um dia típico aqui no atelier?
Costumamos ter reuniões praticamente todos os dias com noivas, convidadas, ou com novos fornecedores. Depois estamos no atelier à hora de atendimento, sendo que na maioria das vezes as pessoas aparecem por marcação. Nessa altura aproveitamos para tratar de todos os assuntos pendentes, responder a emails, fazer marcações de provas.
Catarina: sou responsável pela parte toda de contactos, parcerias, gestão de reservas e fornecedores.
Margarida: a meu cargo está toda a parte criativa de desenho de vestidos, das provas de maquilhagem e da decoração do atelier.

6. Qual foi o vosso maior desafio até agora?
Conseguir que as noivas tenham confiança para fazer um vestido de noiva connosco, uma vez que não temos uma coleção para apresentar (para já) e por isso torna-se difícil darem-nos esse voto de confiança. Mas acreditamos que isto tem de ser feito devagar, este ano já temos três vestidos adjudicados, no próximo ano serão quatro e aos poucos iremos criando o nosso espaço e o nosso nome neste mercado.

7. Acham que o mercado já mudou desde que iniciaram este projecto?
No que diz respeito aos acessórios, somos pioneiras em Portugal, não existia nenhum atelier ou loja que tivesse este tipo de peças. Acreditamos que aos poucos vamos conseguir criar uma mudança na mentalidade das portuguesas, para que, tanto como noivas ou como convidadas, tenham mais coragem e arrisquem mais, sem medo de utilizar um acessório na cabeça que seja marcante.
A vontade da maioria das noivas é terem um vestido desenhado à medida, de forma a não acontecer o episódio de haver outra noiva com o vestido igual. É por isso que, no meio com que lidamos, há cada vez mais noivas a recorrer a pequenos ateliers como o nosso. Penso que o factor “dinheiro” entra aqui, mas a vontade de fugir à massificação também.

8. O que ambicionam fazer num futuro próximo?
Esperam-nos muitos desafios nestes próximos anos, não só na área das noivas mas também noutras áreas onde queremos entrar, mas sobre isso para já não queremos avançar. Neste momento pretendemos cimentar bem o nosso nome no mercado dos vestidos de noiva.

9. Como se imaginam daqui a 10 anos?
Com um atelier muito bonito e de acesso direto à rua, onde estará espelhado o que é o estilo STOA, e que a nossa marca seja sempre associada a beleza, bom gosto, àquilo que é clássico e intemporal mas sempre atento ao que são as tendências e o avanço dos tempos..

10. Qual o vosso conceito de sucesso?
O nosso conceito de sucesso não passa tanto pelo sucesso económico (apesar de este também ser importante), mas sim por conseguir lançar um novo olhar sobre a moda em Portugal, e por conseguir introduzir o nosso estilo. Queremos permanecer no mercado durante muito tempo.

www.facebook.com/stoaatelier


Fotografia por Pedro Lucas