BEHIND the LIFESTYLE

A place where we fit

The Independente Collective

“Nós não fomos os primeiros em Portugal a abrir um hostel. Aquilo que quisemos fazer foi posicioná-los num patamar acima e de referência.”

Fotografia por Pedro Lucas

Q & A

Entrevista por Maria Ana Marques

Em Lisboa, o grupo que detém os dois incríveis restaurantes, que se mantém nos guias como paragem necessária: The Decadente e o The Insólito, onde se pode beber uma imperial, um café ou deliciarmo-nos com a oferta de dois menus para todos os gostos.

Deveria ser obrigatório, em termos de hotelaria, permanecer pelo menos uma noite num dos quartos, do The Independente Hostel & Suites ou no The Independente Suites & Terrace (que confundem a nossa percepção com tantos pormenores irresistíveis).

Com um leque enorme de projectos na mão, este ano vai ainda nascer o The House of Sandeman Hostel & Suites. A parceria entre a Sogrape e o grupo The Independente Collective vai permitir que a partir de 2017 se possa dormir numa cave de Vinho do Porto! O projeto assume-se como o primeiro branded hostel no mundo e vai oferecer um enorme conjunto de experiências ligadas à marca de Vinho do Porto Sandeman. As obras de remodelação no interior do edifício das Caves Sandeman tiveram início em outubro e está prevista a sua conclusão no último trimestre de 2017. O novo Hostel contará com 10 suites e cinco camaratas, num total de 73 camas, um restaurante, uma esplanada, um bar, uma sala de convívio e uma sala para eventos.

É obrigatório conhecer o The Independente Collective e os seus projectos… Nós fomos falar com o Duarte D’Eça Leal, um dos quatro irmãos e sócios-fundadores do grupo para saber mais.

LER REPORTAGEM COMPLETA

1. Como nasceu o The Independente Collective?
Há 5 anos e meio tivemos a ideia de inovar no sector de turismo em Portugal. Achámos que estava estagnado e que tanto os estrangeiros como os portugueses andavam à procura de algo mais. De outras experiências.

2. Nestes últimos cinco anos qual foi um dos grandes desafios?
Perguntavam-nos qual era o nosso cliente tipo e de facto não temos um cliente tipo… São pessoas dos 18 aos 60, solteiros, casados… Com o tempo e com mais maturidade enquanto gestor, começo a perceber que temos de ter as mentalidades sincronizadas e não uma definição etária. Não estou à procura de ter um “tipo” mas temos de o saber definir. Apesar do sucesso que temos tido, e nas centenas de refeições que servimos tanto no The Decadente como no The Insólito, não queremos e não temos a pretensão de ser para todos. Se fosse para todos, deixava de ser para aqueles que foi pensado ser. Sem dúvida que foi um grande desafio cultural durante algum tempo. Hoje em dia, profissionalizar e continuar a inovar são os nossos desafios diários.

3. O que é o sucesso para vocês?
Não é nenhum cliché mas a satisfação das pessoas que nos visitam é super importante. Sermos referidos como uma marca de qualidade. Criar uma empresa saudável do ponto de vista financeiro e que todos os intervenientes estejam satisfeitos é para nós o significado de sucesso.

4. Como descreveriam o The Independente Collective numa palavra?
Be a local, be independente…Sê um de nós, porque falamos a mesma linguagem.

www.theindependente.pt/collective
www.facebook.com/theindependentecollective