BEHIND the LIFESTYLE

No Mundo dos grandes também se sonha

The Inventors

“Acreditamos que uma metodologia de ensino construtivista,
à base de projectos inovadores e inspiradores, desenvolve em crianças e jovens
a curiosidade e motivação necessárias para seguirem estas áreas de conhecimento.”

Fotografia por Pedro Lucas

Q & A

Entrevista por Maria Ana Marques

O mundo da educação precisava de alguém que arriscasse, e assim o The Inventors nasceu. Falámos com o António Moreira, co-founder deste projecto que nasceu e continua a crescer a passos largos.

Desenvolver actividades, através de workshops onde são apresentados Kits educacionais inovadores e motivadores para desenvolver nos alunos o interesse pelas áreas da ciência, da tecnologia, da engenharia e da matemática é o objectivo desta startup portuguesa composta por 6 pessoas. “Já tivemos alunos a recriar os projectos desenvolvidos das aulas em casa e isso mostra que estamos a cumprir a nossa missão. Isso é talvez o que mais me marca. “ refere António Moreira.

Com os olhos no futuro e a ambição de internacionalizar o The Inventors, esta startup considera que é extremamente importante continuar a apostar no desenvolvimento do produto de forma a criar cada vez mais.

LER REPORTAGEM COMPLETA

1. Quando e como nasceu “The Inventors”?
The Inventors nasceu da evolução de um projecto que envolvia uma plataforma de prototipagem que tornava compatíveis novas tecnologias ligadas à electrónica impressa/flexível. Quando lançámos esse projecto numa plataforma de crowdfunding recebemos vários contactos de educadores dos Estados Unidos e do norte da Europa a dizer que o mundo da educação precisava de ferramentas para desenvolver nos alunos o interesse por áreas como a ciência e a tecnologia. Desta forma, o The Inventors foi ganhando mais força.

2. Porquê este nome?
Tudo o que o homem alcançou neste mundo resultou de uma invenção. Desde a roda à energia, da organização da sociedade em democracia à saúde, aos transportes e aos media. Tudo foi inventado por um conjunto de homens com o objectivo de tornar este mundo melhor. É este espírito que queremos passar para todos os nossos alunos. Temo-lo tão enraizado no ADN da empresa que não faria sentido ter outro nome.

3. O que fazem aqui que vos distingue?
O que nos distingue é a nossa proximidade com os jovens. Lidamos todas as semanas com mais de uma centena de alunos. Sabemos o que eles gostam, sabemos como eles aprendem e conhecemos os seus interesses. Só com este conhecimento conseguimos desenvolver Kits educacionais que cumpram com a missão de ensinar e de mostrar como criar novas ideias. Só com este conhecimento conseguimos desenvolver metodologias de ensino inovadoras que canalizam a energia intrínseca de um jovem para as áreas de conhecimento que queremos desenvolver, as áreas CTEM.

4. Quem é o vosso público alvo?
O nosso público alvo, neste momento, são jovens e crianças com idades entre os 8 e os 14 anos, no entanto, já desenvolvemos workshops para adultos. O que percebemos é que, hoje em dia, existem pessoas de todas as idades a quererem entrar neste mundo dos makers.

5. Como é um dia típico aqui na empresa?
Esta empresa está longe de ser uma empresa típica. Diria mesmo que é, e tem que ser, uma empresa bipolar que necessita do caos necessário para despertar a criatividade e desenvolver novos produtos. Esta bipolaridade consubstancia-se numa harmonia paradoxal. Não é anormal estarmos concentrados a preparar uma actividade e sermos surpreendidos por um papel higiénico drone controlado por um telemóvel. Estas agradáveis surpresas aproximam as pessoas que trabalham em áreas diferentes e unem-nos na missão da empresa.

6. Qual foi o maior desafio até agora?
Acho que numa startup tudo é um desafio. Os recursos ainda são poucos, as operações da empresa ainda não estão estabilizadas e todas as pessoas têm mais que uma função a seu cargo. Garantir que a empresa tem novos produtos, garantir que os alunos recebem o material necessário para fazerem a aula, garantir que “amanhã” estamos em mais escolas, que os kits vão estar no mercado, que cada vez mais temos mais alunos e fãs da marca é um desafio constante.

7. Qual a melhor parte deste trabalho?
A melhor parte deste trabalho está ligada à simbiose que se desenvolveu entre nós e a empresa. Neste momento vivemos a empresa. Vivemos cada vitória e cada derrota, vivemos cada projecto que desenvolvemos e cada aluno que alcançamos. Cada pessoa que trabalha para empresa, é a empresa e essa é a melhor parte deste trabalho.

8. Como se imaginam daqui a 10 anos?
Daqui a 10 anos esperamos que o The Inventors seja reconhecido ao nível mundial a três níveis: no desenvolvimento de Kits Educacionais e Lúdicos que motivem e estimulem a curiosidade dos alunos; na aplicação de metodologias inovadoras que resultem de uma aprendizagem constante em ambiente de sala de aula e por fim na resolução de gaps que existam em macrotendências na área da educação.

9. Qual o vosso conceito de sucesso?
Acreditamos que o sucesso é a capacidade de definir e alcançar um objectivo que seja relevante para o futuro da empresa, da nossa comunidade, dos nossos alunos e de nós próprios tendo em conta a sua missão e a sua sustentabilidade a longo-prazo.

10. Numa frase como descreverias este projecto junto dos outros.
The Inventors é uma empresa que desenvolve metodologias, Kits e programas educativos que inspiram e motivam alunos de todas as idades a desenvolverem competências nas áreas CTEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática).

www.theinventors.io
www.facebook.com/theinventors.io