BEHIND the TABLE

Na Herdade onde a boa disposição e a dedicação dão as mãos

Herdade do Monte da Ribeira

“A melhor parte do nosso trabalho é quando temos conhecimento que os consumidores
gostam dos nossos produtos. Queremos continuar a fazer bons vinhos
de maneira a continuar a ter muitos clientes satisfeitos.

Vídeo por Nuno Miguel

Q & A

Entrevista por Maria Ana Marques

Sete da manhã e a caminho do Alentejo mais precisamente de Marmelar. Conversas e discussões sobre trabalho, a esta hora, tornam-se mais interessantes do que podem imaginar.

Após o GPS nos dificultar a vida perguntámos a uma senhora já perto dos 80 anos, amorosa e acompanhada por um Cocker Spaniel, se conhecia a Herdade do Monte da Ribeira. Sabia perfeitamente, agradecemos e acenámos, ela continuou a acenar enquanto o nosso carro ia desaparecendo. Uma senhora que nos fica na cabeça para todo o sempre, essa é a verdade.

Com mais de 1000 hectares, percorremos parte da Herdade num jipe encarnado conduzido pelo Director Comercial, João Carmona e Costa, que nos contava a certa altura que um dos grandes desafios é continuar a “fazer algo melhor do que o que já existe, de maneira a surpreender o nosso cliente.” No fim, os vinhos alentejanos da Herdade juntaram-se à conversa, onde acabámos melhor ainda do que começámos.

LER REPORTAGEM COMPLETA

1. Quando nasceu a marca?
A marca nasce em 1990 mas só aparece no mercado em 1992.

2. Porque se iniciaram na produção de vinho? É uma história de família ou é um projecto “recente”?
Este projecto nasce em 1986 com a compra da propriedade pela Fundação Carmona e Costa que inicialmente pretendia produzir cereais, mas dado não haver água em abundância optou-se pela produção de vinho e azeitona.

3. O que vos distingue essencialmente?
O que nos distingue essencialmente é o chamado terroir da Vidigueira, ou seja estamos numa região que tem um potencial para produzir vinhos excepcionais, tanto brancos como tintos.

4. Conte-nos uma estória curiosa que tenha ocorrido desde a fundação da empresa.
A estória mais engraçada que tenho é de um holandês que esteve de férias no Algarve, bebeu um dos nossos vinhos e escreveu-nos a perguntar onde poderia comprar o vinho na Holanda. Eu respondi-lhe que infelizmente não podia porque nós não tínhamos nenhum importador nesse país, ele fez-me mais umas perguntas sobre preços, embalagens e transportes e passados uns 15 dias voltou a escrever-me a dizer que tinha montado uma empresa e que queria representar os nossos vinhos na Holanda, hoje é um dos nossos principais clientes de exportação.

5. Quais são os vossos vinhos mais interessantes?
Eu não lhe posso dar uma resposta muito objectiva, pois depende para que quer o vinho: quer um vinho de verão para um fim de tarde na piscina? Eu digo-lhe que temos um fantástico Pousio Rosé. Quer acompanhar um fabuloso robalo de mar grelhado? Tenho um Pousio Branco Escolha que vai muitíssimo bem, e assim por diante, os vinhos são todos interessantes e cada vinho tem a sua ocasião.

6. Qual foi o maior desafio até agora?
Adaptarmos os nossos vinhos ao mercado internacional sem perder a nossa identidade.

7. Que evolução notam no mercado? O que acham que se mantém e o que mudou?
O mercado evoluiu muito, com a mudança dos hábitos de consumo, o vinho passou a ser consumido fora das refeições, o consumidor do sexo feminino aumentou muito e todos estes factores obrigaram a produção a pensar em produzir vinhos que não sejam exclusivamente gastronómicos.

8. Como se imaginam daqui a 10 anos?
Imaginamo-nos como uma empresa que continua a apostar na qualidade que poderá vir a ter cerca de 75% da sua produção vendida nos mercados.

9. Qual o vosso conceito de sucesso?
Ter sucesso é não ter nenhum cliente insatisfeito.

10. Numa frase como descreveriam a HMR junto dos outros.
Somos concorrentes leais.

www.casaagricolahmr.pt
www.facebook.com/HerdadedoMontedaRibeira


Fotografia por Pedro Lucas